Governador estuda ações para minimizar impactos da paralisação dos caminhoneiros em SC

Após um dia de agendas em Brasília e no Rio de Janeiro, o governador Eduardo Pinho Moreira participou de uma reunião na noite desta quarta-feira, 23, com secretários de Estado e comandantes das polícias para fazer o acompanhamento dos desdobramentos da paralisação dos caminhoneiros, que ocorre em todo o Brasil. No Estado, há bloqueios em rodovias federais e estaduais. A principal preocupação da administração é com as consequências de um desabastecimento em serviços essenciais para a população.

(Foto: Julio Cavalheiro / Secom)
“Nós estamos atentos. Há um comitê de crise desde a terça-feira, reunidos há mais de 24 horas, acompanhando todas as situações em todos os segmentos da sociedade. Temos alguns mais urgentes do que outros. O que nós vamos garantir dentro do nosso Estado é a preservação da vida, a segurança e a garantia de ir e vir do cidadão catarinense”, afirmou o governador após o encontro, que ocorreu no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres de Santa Catarina (Cigerd), inaugurado na semana passada na área continental de Florianópolis.

Nesta quinta-feira, novas reuniões de monitoramento acontecerão no Cigerd desde as primeiras horas da manhã. Segundo o governador, a mobilização será permanente até o fim do movimento dos caminhoneiros. O Estado tem tomado ações para preservar a biossegurança da atividade de avicultura e pecuária. Também foi dada a garantia de diálogo com os manifestantes, desde que sejam respeitados alguns limites.

“Temos problemas na pecuária, de sanidade animal. Há todo um processo muito complexo, como o abastecimento de presídios, entidades e hospitais. Enfim, todas as atividades decorrentes da natureza humana. E nos preocupa muito Santa Catarina. Esperamos uma solução rápida. Mas aquilo que é essencial ao catarinense nós vamos garantir, com certeza”, disse o governador.

Os presentes no encontro também salientaram que aguardam por um desfecho rápido para a questão. Em caso de desabastecimento severo, o governador garantiu que há condições de intervenção, por meio das forças de segurança.

Presente na reunião, o secretário de Estado da Agricultura e Pesca, Airton Spies, informou que está em contato permanente com as agroindústrias que suspenderam os abates, mas que, apesar dos prejuízos financeiros momentâneos, a prioridade do governo é garantir que não haja riscos sanitários para os animais criados em Santa Catarina.

TRANSFERÊNCIA DE COLETIVA

Em virtude da paralisação dos caminhoneiros, que afeta todo o Brasil e o cotidiano da população de Santa Catarina, a coletiva dos 100 dias da gestão do governador Eduardo Pinho Moreira, marcada para esta sexta-feira,25, foi transferida para a próxima segunda-feira, 28.
Governador estuda ações para minimizar impactos da paralisação dos caminhoneiros em SC Governador estuda ações para minimizar impactos da paralisação dos caminhoneiros em SC Reviewed by Wellington Civiero Ferreira on maio 24, 2018 Rating: 5

NW Blumenau No Twitter